quarta-feira, 1 de abril de 2009

1º de abril.

A Argentina perdeu de 6x1 para a Bolívia. Seria bom demais pra ser verdade e, em um 1º de abril, na certa é uma mentira.

Mas pra alegria geral da nação - brasileira - isso aconteceu mesmo. Hoje, 1º de abril de 2009, a seleção Argentina perdeu para os bolivianos por 6x1 em partida válida pelas eliminatórias da copa de 2010.

Logo os Hermanos, que possuem um dos ataques mais qualificados do mundo - com Messi, Tevez, Aguero e cia - levaram um bombardeio. Que ironia. A explicação, então, está na defesa? Sim, de fato a defesa Argentina não é lá grandes coisas; vive de jogadores de nome, de um passado recente, mas que não dão mais conta.

No entanto, a explicação mais plausível e que ao mesmo tempo nos revela a maior ironia na derrota dos Argentinos pro penúltimo colocado das eliminatórias é a altitude. A Bolívia manda seus jogos na cidade de La Paz, a quase 3700 metros acima do mar.

Todos sabem o crime que é jogar em tais condições, onde mal se pode respirar.A FIFA sabe, por isso há algum tempo resolveu proibir os jogos em altitude maiores a 2500 metros, incluindo La Paz na restrição. A Bolívia, é claro, questionou, protestou e recorreu junto a FIFA.

Foi assinado uma espécie de tratado entre alguns países da América do Sul em apoio aos bolivianos - do qual o Brasil não participou. A Argentina assinou. O presidente Evo Morales passou a fazer uma grande campanha para que fossem permitidos os jogos em La Paz, e como parte de toda a presepada jogou uma peladinha na altitude ao lado de um dos maiores jogadores da história.

Quem era o tal jogador?? Diego Armando Maradona, grande ídolo, Deus na Argentina, defensor da legitimidade dos jogos em La Paz e, principalmente, atual TÉCNICO DA SELEÇÃO ARGENTINA.

Grande ironia do destino que coloca Maradona numa sinuca de bico: Se disser que perdeu por causa da altitude mostrará ser incoerente com o que defendeu no passado. Mas se não foi a altitude a situação está feia para a seleção da Argentinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário