terça-feira, 23 de junho de 2009

sarkozy e a burca

Em meio às sérias ameaças à democracia no Irã - onde protestos têm resultado em mortes e jornalistas impossibilitados de trabalhar - eis que surge uma demonstração repressora de onde não se esperava.

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, foi ao congresso discursar a favor da proibição do uso, na França, da burca e do niqab, trajes utilizados pelas mulheres islâmicas, as quais ficam apenas com os olhos a mostra.

Por mais que possa ser considerado símbolo da submissão imposta às mulheres - como disse o próprio presidente - o uso deste traje é tradição islâmica, já incorporada a sua cultura e aceita por muitas das mulheres.

Portanto, Sarkozy vai de encontro ao livre arbítrio e ao caráter Laico da França,país que abriga milhões de islâmicos e que deveria favorecer a diversidade das manifestações religiosas e não reprimi-las de forma intolerante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário